quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Dia do Vizinho 17/08


Este dia do Vizinho vamos aprender com  ser um bom vizinho no seu   prédio.

 
Abaixo alguns itens para você apender ser um bom vizinho:

• Faça uma lista das coisas que seus vizinhos fazem e que o incomoda, como música ou TV em volume elevado, pulos no chão, crianças gritando, etc;

• Analise a lista e verifique se você também não está fazendo nenhuma dessas coisas irritantes. Se estiver, corrija a postura no seu apartamento e não cometa o mesmo erro que os demais;

Converse gentilmente com seu vizinho sobre os problemas da lista e tente resolver a situação de forma amigável. Em último caso, analise o regulamento do condomínio e exponha a situação ao síndico;

• Seja gentil. Não pata portas nem adote uma postura arrogante com seus vizinhos. Sua boa postura será notada pelos demais;

• Torne-se amigável. Cumprimente seus vizinhos, pergunte sobre o dia, etc. Enfim, seja simpático;

• Ofereça ajuda. Se você percebe algum vizinho em dificuldade para transportar objetos, por exemplo, principalmente se for idoso, encontre formas de ajudá-lo;

• Seja restrito quanto às vagas de estacionamento. Parece apenas na sua vaga. Se receber visitas, certifique-se de que elas estacionem na sua vaga adicional. Caso seja realmente necessário utilizar uma outra vaga, peça a seu vizinho. Mas antes, certifique-se de que isso não lhe causará transtornos.


Fonte:http://www.tudobox.com/418/como_ser_um_bom_vizinho_de_apartamento.html 
Foto:http://www.classimacae.com.br/2012/wp-content/uploads/2012/04/304507.jpg

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Anarcopunk


Anarcopunk ou anarco-punk é uma vertente do movimento punk que consiste de bandas, grupos e indivíduos que promovem políticas anarquistas.
Apesar de nem todos os punks apoiarem o anarquismo, o pensamento tem um papel importante na cultura punk, e o punk teve uma influência significativa no anarquismo contemporâneo. O termo anarcopunk é algumas vezes aplicado exclusivamente a bandas que fizeram parte do movimento anarcopunk original no Reino Unido na década de 1970 e 1980, como Crass, Conflict, Flux of Pink Indians, Subhumans, Poison Girls e Oi Polloi. Alguns utilizam o termo mais amplamente para se referir a qualquer música punk com conteúdo anarquista em sua letra. Essa definição mais ampla inclui bandas crust punk e bandas d-beat como Discharge, e podem incluir bandas de hardcore punk dos Estados Unidos, como MDC, artistas de folk punk como This Bike Is a Pipe Bomb ou artistas em outros subgêneros.

História

Um crescimento no interesse popular ao anarquismo ocorreu durante os anos 1970 no Reino Unido após o nascimento do punk rock, em particular os gráficos influenciados pelo situacionismo do artista Jamie Reid, que desenhava para os Sex Pistols e o primeiro single da banda, "Anarchy in the UK". No entanto, enquanto que a cena punk inicial adotava imagens anarquistas principalmente por seu valor de choque, a banda Crass pode ter sido a primeira banda punk a expor ideias anarquistas e pacifistas sérias. O conceito do anarcopunk foi assimilado por bandas como Flux of Pink Indians e Conflict. O co-fundador do Crass, Penny Rimbaud, disse que sentia que os anarcopunks eram representantes do punk verdadeiro, enquanto que bandas como os Sex Pistols, The Clash e The Damned eram nada mais do que "fantoches da indústria musical".
Enquanto passavam os anos 1980, dois novos subgêneros da música punk evoluíram do anarcopunk: crust punk e d-beat. O crust punk, e seus pioneiros foram as bandas Antisect, Sacrilege e Amebix. O d-beat eram uma forma de música punk mais bruta e rápida, e foi criada por bandas como Discharge e The Varukers. Um pouco depois, na mesma década, o grindcore desenvolveu-se do anarcopunk. Parecido com o crust punk, porém ainda mais extremo musicalmente (utilizava blast beats e vocais incompreensíveis), seus pioneiros foram Napalm Death e Extreme Noise Terror. Paralelamente ao desenvolvimento desses subgêneros, muitas bandas da cena hardcore punk dos Estados Unidos tinham a ideologia anarquista, incluindo MDC e Reagan Youth.

Anarcopunk no Brasil

A vertente brasileira do anarcopunk tem diversos coletivos, indivíduos, ideias e produções. São realizados encontros anualmente, em caráter nacional e regional. Vale destacar os encontros anarco-punk ocorridos na região nordeste e sudeste do país, desde 1999 e 1992 respectivamente. Bandas, zines, patches, eventos, manifestações tudo formando um grande conjunto de ideias, próprias de movimentos de contestação social. Em alguns estados e cidades, existem anarcopunks que se organizam como um tipo de federação como o MAP-SP (Movimento AnarcoPunk + "estado/Cidade"), MAP-RJ e MAP-RS. [carece de fontes?]
Algumas bandas anarco-punks do Brasil: Discarga Violenta (RN), Destroçus (rip/RN), Escato (rip/BA), Nebulo Quidam (PE), Derriba tus Muros (rip/PE), Abuso Sonoro (SP), Desecration (SP), Neurastenia (BA), Indigestus (CE), Grillus-Sub (CE), Defeito-Neuro-Cervical (PE), Última Marcha (MA), Subversivas (MA), Lixo Urbano (rip/SC), Guerra de Classes (rip/RS?SC?), Execradores (rip/SP), Livre Associação de Idéias (rip/PR), Difekto (rip/PR), Abutry (RN), Exclusos (BA), Revolta Popular (SP), Ataque e Resistência (SP), etc...

Fonte:http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=2&ved=0CGsQFjAB&url=http%3A%2F%2Fpt.wikipedia.org%2Fwiki%2FAnarcopunk&ei=3Y0rUPVgkfL2BIHWgfgG&usg=AFQjCNFWjLJmLgK_L4zlPrsrRKQmPCkrFw&sig2=RpEOPKezM4wNtltqAtRueg&cad=rja
Foto:http://files.olivrodehelio.webnode.com.br/200000826-b412ab50c7/Logo.jpg

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Punk OI OI OI!



Abaixo um pouco da história do Streetpunk conhecido por Punk OI.
Todos acham que todos “CARECAS” são todos  skinheads neonazistas mais nem  todos   são, os Streetpunk/Oi!  tambem  são "CARECAS".
Boa Leitura


O Inicio do Punk OI
Street punk é o nome dado à uma uma variação do punk rock surgida no final da década de 1970 na Inglaterra com bandas como o Sham 69 (considerada como os pais do estilo), Cockney Rejects, Cock Sparrer, The 4-Skins e outras. O Streetpunk/Oi! era basicamente um punk rock vindo dos subúrbios, tinha como ideal ser uma revitalização do punk agressivo, realista, das ruas, sem a comercialização e a suavização da new wave. Era a música que segundo Gary Bushell, unia "punks, skins e toda a juventude sem futuro".
A designação do streetpunk pelo termo Oi! foi originado no início da década de 1980 pelo jornalista britânico Garry Bushell, termo esse retirado da música dos Cockney Rejects "Oi! Oi! Oi!". Porém, a subcultura já existia desde o final dos anos 1970, liderada por diversas bandas. A palavra oi! na gíria cockney, tem o mesmo significado da saudação oi! em português.
O Streetpunk/Oi! foi associado ao facismo e ao neonazismo, pois muitos skinheads neonazistas ouviam esse tipo de som e iam aos shows. Porém, várias bandas iniciais do estilo como Cockney Rejects, Sham 69, The Oppressed, The Redskins entre outras, se declararam publicamente contra essa associação. Jeff Turner, vocalista do Cockney Rejects, em sua autobiografia, descreve um incidente em que os membros da banda e seus roadies se envolveram em uma briga contra membros do British Movement num dos primeiros shows do Cockney Rejects. O Sham 69 parou durante um tempo de tocar ao vivo, depois que um concerto em 1978 no Middlesex Polytechnic foi interrompido por white powers simpatizantes do National Front que quebraram o palco. Com o passar do tempo, os skinheads neonazistas se ligaram mais ao RAC do que ao Streetpunk/Oi!.




Streetpunk/Oi! no Brasil
A popularidade do termo foi obscurecida na primeira metade da década de 1980. Musicalmente houve participações de duas bandas no festival punk O Começo do Fim do Mundo em São Paulo, que foi registrada com as músicas "Faces da Morte" do Dose Brutal e "Careca" do Neuróticos, no álbum gravado nesse festival.
O termo voltou a se tornar popular no começo da década de 1990 e atualmente é utilizado com diversos signficados: exclusivamente como nome do estilo musical; como referência à punks ditos "verdadeiros", que não estariam a seguir um modismo, punks ligados a grupos sem inclinação político-partidária.
Como o Streetpunk/Oi! é também escutado por skinheads e há bandas Streetpunk/Oi! com skinheads na formação, no Brasil, os punks puristas e mais extremos rejeitaram o estilo, pois no Brasil o termo Oi! é visto como "som de careca" e de direita ou nacionalista, então a maioria dos punks o rejeitam e o repudiam, mas isso não passa de preconceito. O Streetpunk/Oi! é uma espécie de revivalismo do punk rock, mais ligado à rua e ao realismo social.
Os termos streetpunk e Oi! continuam tendo o mesmo significado, o punk rock das ruas, feito tanto por punks como por skinheads.
Umas das principais bandas de Street Punk/Oi! dos ultimos anos ( 2000-2011 ) vem sendo a banda Norte-Americana The Casualties,que trouxeram a velha atitude punk,suas musicas rapidas e gritadas,vem sendo um sucesso entre os punk no Brasil,e no Mundo .


Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Street_punk
Foto:http://2.bp.blogspot.com/_B3dQLjr8_S0/TBA2RLg34sI/AAAAAAAAACs/-B0fV0Zl3P8/s1600/oi.jpg


Punk Not Dead


Um pouco da História do Punk Rock no mundo.
Boa Leitura

História

Punk rock é um movimento musical e cultural que surgiu em meados da década de 1970 e que tem como características principais músicas simples (que geralmente não passam de três acordes), rápidas e ruidosas, com canções que abordem ideias políticas anarquistas, niilistas e revolucionárias. Também abordam em suas letras problemas sociais como o desemprego, a guerra, a violência e drogas; ou o contrário disto: temas como relacionamentos, diversão e sexo. O visual agressivo e rasgado, chocante, que foge dos padrões da moda e da sociabilização, a linguagem despudorada, a filosofia "faça-você-mesmo" (Do It Yourself em inglês, ou, numa sigla, DIY), a imagem "anti-ídolo" (inclusive sem ser obrigado a tocar corretamente seu instrumento) e atitudes destrutivas também são outras características do punk; embora nem todas as bandas sigam tal padrão.[1] Se opôs, principalmente, aos excessos do rock progressivo, do fusion e do hard rock quando, em 1977, invadiu a Inglaterra via Estados Unidos.


O Inicio

O punk rock surgiu em meados da década de 1970, mas já é possível achar bandas que faziam algo bem próximo na década de 1960, como o The Troggs e o The Kinks ingleses (com suas Wild Thing e You Really Got Me, respectivamente). O mesmo espírito sônico animava os Stooges (que faziam músicas simples, bem ruidosas, e que tinham atitudes destrutivas; uma característica tipicamente punk) e o MC5 (primeira banda a juntar agressividade musical com idéias políticas subversivas e drogas, outra característica típica de alguns punks pré-straight edge), ambas as bandas de Detroit e formadas no final dos anos 60. Antes disso, em 1964-1965, o The Trashmen (com sua Surfin Bird, regravada pelo Ramones), o The Sonics e o The Monks faziam algo muito próximo do punk rock em termos sonoros. Também podemos sentir a veia punk, ainda em 1970, na versão de I Wanna Be Your Man dos Beatles gravada por Terry Manning para seu único disco. Vale a pena citar também o Velvet Underground, outra banda que influenciou bastante a "primeira geração" punk, principalmente no clássico album White Light/White Heat, de 1968.


No Brasil
 
O movimento punk no Brasil surgiu no final da década de 1970. O precursor foi o guitarrista Douglas Viscaino, que fundou a banda Restos de Nada, primeira banda punk brasileira em meados de 1978. Nessa época surgiu uma legião de bandas com o mesmo molde que juntas formaram o movimento punk. Entre elas as bandas: AI-5, Condutores de Cadáver, Cólera, banda liderada pelo músico Redson Pozzi[3] na cidade de São Paulo, Aborto Elétrico em Brasília.
Desde 1976 e 1977, alguns roqueiros "mais antenados" já ouviam e tinham acesso aos discos dos Ramones, Sex Pistols, Clash e Stranglers, e também das bandas pré-punk como o MC5 e os Stooges. Porém foi só em 1978 que começaram a surgir bandas e gangues punks no Brasil. Os primeiros shows punks iriam ocorrer apenas em 1979.



Fonte:http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=0CF4QFjAA&url=http%3A%2F%2Fpt.wikipedia.org%2Fwiki%2FPunk_rock&ei=ej8qUOnkOuue6gGxiYGoBQ&usg=AFQjCNE61412-neD2SQ62kka2b34fTtyUA&sig2=3Nwohvobc2OR7HPbczB0_Q&cad=rja

Foto:http://2.bp.blogspot.com/-zs6GZCbXu-A/T26EZHKhYlI/AAAAAAAABTE/4C43Jh1cTUc/s1600/Punk-s-not-dead-punk-rock-14926257-658-521%5B1%5D.jpg